sexta-feira, 31 de julho de 2015

Camisinha de látex em formato de spray poderá revolucionar o mercado mundial de preservativos



Uma estudante de design criou um preservativo em spray, aplicado com uma lata de aerossol, apelidado de 'Girlplay'.

O conceito de design de Michele Chu permite que os usuários possam pulverizar o produto no pênis para garantir a proteção, como se fosse um desodorante. Ela garante ser mais fácil de colocar do que um preservativo convencional e mais divertido, ou seja, as pessoas são mais propensas a usá-lo.

Chu tirou sua inspiração do primeiro homem que afirmou ter criado um preservativo em spray, o professor de saúde sexual alemão, Jan Vinzenz Krause. Em 2008, ele criou a primeira versão do protótipo depois de ter sido inspirado pela mecânica de um aparelho de lavagem de carro. O protótipo tinha um tubo de plástico rígido com bicos sobre ele que pulverizava látex líquido. Porém, o produto não era eficaz, pois demorava muito tempo para secar - cerca de três minutos -, fazendo com que os amantes não procurassem o produto como uma alternativa à camisinha.


Agora, Chu, estudante sênior no Pratt Institute, em Nova York, está tentando trazer a ideia de volta. Girlplay é apenas um conceito de design, mas ela espera que ele possa revigorar o interesse na ideia de um preservativo em spray. Chu disse que isso iria eliminar a necessidade de diferentes tamanhos de preservativos. O aerossol também poderia trabalhar nas mulheres. A questão agora é estudar, quimicamente falando, mecanismos que possam fazer o látex secar rapidamente e continuar mantendo suas propriedades elásticas para prevenir contaminação com DSTs.

Ela criou o 'kit amante', que inclui um sutiã inteligente, controlado por um controle remoto, e também o que ela chama de preservativos "convencionais", embora eles apresentam uma função eletrônica. O controle remoto também é capaz de controlar o preservativo, reproduzindo vários efeitos, modos de função e sabores, bem como ser capaz de tirar o sutiã com apenas um clique.

Em seu site oficial, Chu disse que Girlplay visava ‘mulheres ousadas’ e que ela queria ‘mudar toda a experiência na hora de fazer amor’. Ela escreveu: "Produzi uma linha de spray de preservativos que utiliza a mais recente tecnologia para caber em cada tamanho, em ambos os sexos. Estes preservativos em spray são feitos sob ajuste perfeito, e funcionam como spray. Eles também vêm em um conjunto chamado kit do amante, que inclui várias peças como sutiãs e controles remotos para aprimorar a experiência de nossos clientes. Criamos spray preservativos revolucionários, que são perfeitos para o ambiente em ritmo acelerado da atualidade”


Em uma entrevista, ela também disse que o mercado de preservativos 'precisava de algo novo'. A visão de Chu não é muito longe da realidade da empresa chinesa Blue Cross Bio-Medical, que atualmente vende spray de preservativos para mulheres, com uma espuma formando uma barreira física contra o sêmen. Mas, até então, nada do tipo havia sido criado para homens.



Para ler sobre saúde sexual acesse nossos sites: www.aumentopenianodantas.com.br e www.aumentopenianoplenus.com.br
 


Fonte: http://www.jornalciencia.com/tecnologia/biotecnologia/5065-camisinha-de-latex-em-formato-de-spray-podera-revolucionar-o-mercado-mundial-de-preservativos

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Nota de esclarecimento ao público sobre a morte de jovem que injetou hidrogel no pênis.


Nós da Clínica Dr.Dantas lamentamos a perda da vida do jovem que se auto-injetou hidrogel para o aumento do pênis. Sensibilizados também pela tragédia vamos passar aos fatos e esclarecer que este tipo de produto (hidrogel) não deve de forma alguma ser utilizado para o aumento do pênis mesmo que em mãos de profissionais médicos especializados. 

Passamos a descrever a notícia segundo as fontes citadas abaixo.



O Instituto Médico Legal (IML) de Ribeirão Preto (SP) confirmou nesta segunda-feira (27) que o jovem de 18 anos, que morreu na sexta-feira (24), havia aplicado hidrogel no pênis.

O estudante Yuri Mamede da Costa, 18 anos, morreu na noite da última sexta-feira após aplicar hidrogel por conta própria em seu pênis, em Ribeirão Preto (313 km de SP).

Segundo testemunhas relataram à polícia, Costa aplicou a substância, usada no preenchimento de tecidos e músculos, em casa, à tarde.

Cerca de uma hora depois, ele começou a sentir fortes dores na cabeça e no corpo e foi levado ao Hospital das Clínicas da cidade, onde teve uma parada cardiorrespiratória e morreu.

O jovem deu entrada na Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas (HC-UE) na tarde de sexta-feira. Segundo o boletim de ocorrência, o rapaz injetou a substância no pênis, mas não resistiu a um quadro de insuficiência respiratória aguda e morreu quatro horas após ser atendido.

Segundo o médico legista Mário Marcos Abeid, autor do laudo, Costa sofreu uma embolia que causou uma parada cardiorrespiratória. “O rapaz obviamente não tinha conhecimento técnico para fazer tal procedimento, que eu nunca tinha visto ser realizado no pênis. Pela falta de conhecimento, provavelmente ele pegou vários vasos, causando vários trombos que caíram na circulação sanguínea, foram até o pulmão, causando um quadro de embolia pulmonar”, explicou.

Ainda de acordo com Abeid, não foi possível detectar a quantidade de produto usada pelo jovem. Também não havia indícios de aplicações em outras partes do corpo.

Apesar de o produto ser formado 98% por água e de ser absorvido pelo corpo após aproximadamente dois anos, o médico explica que tanto o hidrogel quanto a forma com que ele é aplicado podem provocar complicações que colocam a saúde do paciente em perigo.



Fontes consultadas:

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Cientistas dizem ter descoberto o que faz um pênis ser perfeito


O tamanho do pênis aparece apenas em sexto lugar em lista de critérios importantes para mulheres


David de Michelangelo


Um grupo de pesquisadores da Universidade de Munique acredita ter encontrado a resposta para uma pergunta que há séculos atormenta os homens: qual é a aparência do pênis ideal?

Segundo o estudo, "a aparência estética em geral" é o critério mais importante para as mulheres. Em seguida, vem a aparência dos pelos pubianos, o estado da pele e a circunferência. O tamanho, normalmente centro das preocupações, aparece apenas em sexto lugar na lista de prioridades. Já a característica menos importante é a posição e formato da saída da uretra.


A pesquisa ouviu 105 mulheres de idades que variavam entre 16 e 45 anos. O objetivo era descobrir como os homens com hipospádia, uma malformação que faz a saída da uretra ficar em uma posição incorreta, eram percebidos pelas mulheres. Segundo os pesquisadores, muitos homens com hipospádia submetem-se a cirurgias por considerar a sua aparência "anormal".

De acordo com os pesquisadores, a expectativa é que as respostas viessem com os quesitos tamanho e grossura em primeiro lugar, mas a estética genital é que “venceu” a disputa, seguida do cuidado com pelos pubianos e da pele em torno da área genital.


Só na terceira colocação que aparece a circunferência do pênis, enquanto o tamanho do pênis foi considerado apenas o sexto artigo mais importante em um pênis para ele ser ‘normal’. O estudo foi publicado na última edição do Journal of Sexual Medicine.

Outro detalhe que chamou a atenção dos pesquisadores é a preferência das mulheres por pênis sem prepúcio. Isso porque, para elas, a ausência facilita a higiene do local, além de deixar com um aspecto considerado “mais bonito”.


Porém, as conclusões do estudo revelam que o posicionamento da saída da uretra não importa tanto para o sexo oposto, o que, segundo os pesquisadores, deveria ser informado ao pacientes para "prevenir o surgimento da vergonha".

Além disso, os cientistas também concluíram que nenhum aspecto peniano, considerado individualmente, é essencial para que um pênis seja tido como atraente.








Fonte:
http://ela.oglobo.globo.com/vida/cientistas-dizem-ter-descoberto-que-faz-um-penis-ser-perfeito-16872506#ixzz3gdRQRFXO

https://br.noticias.yahoo.com/blogs/super-incrível/seu-pênis-está-legal--mulheres-revelam-qual-o-tipo-ideal-para-elas-211247500.html